A propagação de gente chata chega ao mundo publicitário

A criatividade dos publicitários nem sempre agrada a todos os consumidores. Se a propaganda mostra um carro em alta velocidade, há aqueles que entendam como um estímulo à imprudência. Quando há menção bem humorada a uma profissão, surgem os que vejam a brincadeira como ofensa. Quando são usados personagens de histórias de terror, chovem queixas de pais que temem a reação de seus filhos.

A lista de reclamações é tão grande quanto a percepção dos consumidores. De 2009 a 2013, o número de processos abertos pelo Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) a partir dessas críticas mais que dobrou. Abaixo, temos dez entre as reclamações mais curiosas que acabaram sendo arquivadas.

Continuar lendo